Retrospectiva Ciclovia da Pampulha


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Ciclista pedala 500 quilômetros para pedir mais espaço para as bikes

Bicampeão mundial de longa distância percorre em 15 horas 500 quilômetros no entorno da Lagoa da Pampulha para pedir implantação de ciclofaixas na capital, especialmente na orla 


O sonho de pedalar em segurança em volta da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, fez o ciclista Rogério Pacheco se lançar em mais um desafio. Desta vez, durante 15 horas consecutivas, ele guiou sua bike pela orla para conscientizar autoridades sobre a importância da implantação de ciclofaixas na capital. O desafio começou na noite de sexta-feira e só terminou por volta das 12h de ontem, quando completou 25 voltas em torno da lagoa e um percurso de 500 quilômetros.

Tido como um dos maiores ciclistas de longa distância do Brasil em mountain bike e no ciclismo de estrada, Rogério é bicampeão mundial de 24 horas e protagonista do Pedalando Dez Dias pela Vida. Ele também vem se tornando conhecido por fazer da bicicleta um instrumento de ação social e política, além, é claro, de incentivar o seu uso como meio de conquistar uma vida mais saudável. Para ele, o ciclismo é um esporte democrático e transformador na vida das pessoas. “Vejo isso todo dia, quer seja no projeto que desenvolvo com dependentes de drogas, quer seja com pessoas que chegam até o grupo simplesmente porque querem perder peso, fazer exercícios ou mesmo ter um lazer diferente”, afirma.

E foi pensando nos públicos das mais diversas categorias que Rogério elaborou o projeto de ciclofaixas para a Pampulha, uma região que, segundo ele, está longe de oferecer segurança a milhares de pessoas que usam o local para se exercitar.
Na proposta, já encaminhada à Câmara Municipal, o ciclista defende uma série de intervenções para garantir um espaço próprio para os ciclistas e diminuir a ocorrência de acidentes envolvendo carros, bicicletas e pedestres.

“A proposta é que as ciclofaixas estejam no mesmo nível da rua, em sentido único e sem a proteção que normalmente separa as ciclovias das faixas destinadas aos carros. A delimitação do espaço seria feita apenas por cores na pintura do chão”, explica. Em pontos estratégicos, uma sinalização especial garantiria o respeito ao espaço reservado aos ciclistas, como a colocação de placas educativas em diversos locais.

Outras sugestões envolvem alterações de circulação em pontos como no trecho perto do Parque Ecológico Francisco José Lins do Rêgo, local em que Rogério defende a necessidade de mão única para veículos maiores. E, para destacar o que chama de descaso das autoridades para com as pessoas que usam a lagoa para lazer e a prática de atividade física, o ciclista chama a atenção para a ausência de banheiros públicos. “Essa é uma queixa frequente de quem circula por aqui. Não há um banheiro sequer em toda a orla da lagoa. No projeto, incluímos a instalação de várias dessas unidades. Essa manifestação é um apelo à prefeitura para que abrace a nossa causa.”

BENEFÍCIOS
O uso das bicicletas como meio de transporte é fundamental para qualquer cidade grande. Como veículos de baixo custo, não poluentes, silenciosos e flexíveis em seus deslocamentos, as bicicletas ajudam a desafogar o trânsito e a despoluir o ar. Rogério Pacheco afirma que, com a instalação de ciclovias e ciclofaixas, a prefeitura estaria dando um grande incentivo para que a população saia de casa deixando seus carros na garagem, o que seria bom para a cidade e para a saúde de quem fizesse essa opção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário